Ex-reitor da Unemat, Adriano Silva morre com suspeita de Covid

DOUGLAS TRIELLI

Faleceu na noite desta quarta-feira (3) Adriano Silva, ex-reitor na Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e atual presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de Mato Grosso (Fapemat).

 

Ele estava internado desde o domingo (31) no Hospital São Luiz, em Cáceres, com suspeita de Covid-19. Segundo apurou a reportagem, seu quadro clínico se agravou desde ontem e ele foi intubado, com complicações no pulmão.

 

Durante o procedimento, ele sofreu uma parada cardíaca. Em razão da falta de UTI em Cáceres, os médicos decidiram transferi-lo para Cuiabá na tarde desta quarta-feira.

 

Segundo apurou a reportagem, a UTI Aérea chegou a Cáceres por volta das 17 horas. Antes de embarcar para Cuiabá, os médicos precisaram estabilizar o paciente, que já tinha graves complicações cardíacas e pulmonares.

 

As 17h30, a UTI Aérea deixou Cáceres. Durante o trajeto até a Capital, o ex-reitor sofreu mais duas paradas cardíacas. Ele ainda deu entrada com vida na Clínica Femina, mas não resistiu.

 

A reportagem ligou para a clínica agora à noite, mas uma funcionária afirmou que não poderia divulgar nenhuma informação.

 

Pesar

 

O caso de Adriano ainda é considerado suspeito porque seu exame para a Covid-19, realizado na segunda-feira (1), não ficou pronto. No entanto, ele apresentou sintomas característicos da doença.

 

Adriano Silva era professor, advogado e ex-reitor da Unemat, onde atuou por 22 anos, período em que também foi professor e coordenador do curso de Direito. Desde março do ano passado ele presidia a Fapemat.

 

Em 2014, ele se candidatou a deputado estadual, conseguindo se tornar suplente. E chegou a assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa. Em 2018, candidatou-se a deputado federal, também ficando como suplente.

 

Agora à noite, o Governo do Estado divulgou nota sobre a morte. “O governador Mauro Mendes e a primeira-dama Virginia Mendes lamentam profundamente o falecimento do amigo e gestor e prestam condolências aos familiares”, diz a nota.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
%d blogueiros gostam disto: