Polícia investiga fraude no abastecimento dos carros oficiais do município de Poconé

Yuri Ramires – Gazeta Digital

Cinco mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridas na manhã desta quinta-feira (13), pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), na Operação Ouro Negro, que investiga fraude no abastecimento de veículos da Prefeitura de Poconé (104 km ao Sul de Cuiabá).

 

De acordo com as informações, 4 buscas estão feitas na sede do Poder Executivo de Poconé e em uma empresa apontada como participante do esquema, na cidade de Uberlândia (MG).

Consta no inquérito policial 098/2018 que, deu origem a investigação, a fraude foi praticada entre os anos de 2017 e 2018 no sistema de gerenciamento de abastecimento da frota municipal, por meio de inserções de dados falsos, registros de abastecimentos fictícios e na total desconformidade com a média de consumo.

 

A investigação da Defaz aponta que os veículos apresentavam quantidade superior a capacidade do tanque de combustível e até mesmo com o combustível diferente do que era utilizado pelos carros oficiais.

 

Sylvio do Vale Ferreira, delegado da Defaz, contou que a fraude tem a participação de servidores municipais e do proprietário e funcionários do posto de combustível credenciado e da empresa Trivale, que é responsável em abastecer a frota.

 

A operação busca por documentos, computadores e notas que possam comprovar o crime contra a administração pública, peculato e organização criminosa contra a Prefeitura de Poconé.

 

Em nota, a empresa ValeCard, que presta serviços ao município, esclareceu que não há ingerência sobre os beneficiários e valores creditados no cartão.

 

Confira a nota na íntegra:

 

Com relação à operação denominada “Ouro Negro”, deflagrada pela Polícia Civil nesta quinta-feira (13) sobre supostas irregularidades no abastecimentos da frota de veículos da Prefeitura de Poconé (MT), a ValeCard, empresa prestadora de serviços na área de meios de pagamentos, benefícios e gestão de frotas, esclarece que não tem ingerência sobre os beneficiários e valores creditados nos cartões, função esta que fica a cargo da empresa ou órgão público contratante. A ValeCard informa ainda que, embora funcione no formato de auto-gestão, o seu sistema de pagamentos conta com uma série de mecanismos que visam coibir fraudes.

No caso em questão, a ValeCard prestou serviços à Prefeitura mato-grossense no período de 12 de junho de 2017 a 12 de junho de 2018. Atualmente, o referido contrato encontra-se bloqueado devido ao fim do período de vigência, e não há nenhum outro contrato ativo com a Prefeitura de Poconé.

A ValeCard está colaborando com as autoridades e fornecendo todas as informações e documentos solicitados.

Por fim, a empresa coloca-se à disposição para eventuais esclarecimentos.

(Com informações da assessoria)

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
%d blogueiros gostam disto: