Estilo de vida e alimentação aliviam sinais da menopausa

Jessica Bachega – Gazeta Digital

A chegada da menopausa é inevitável, porém algumas medidas podem ser tomadas para que o período seja vivido com o menor desconforto possível. Mais do que medicação tradicional, estilo de vida e alguns alimentos irão amenizar os sintomas e conferir mais bem-estar às mulheres nessa fase.

A menopausa corresponde à última menstruação. Ela sinaliza o fim do período reprodutivo feminino. Ela é o oposto da menarca, que consiste na chegada do primeiro fluxo e início da vida reprodutiva.

Se por um lado a mulher fica livre dos desconfortos da menstruação, a menopausa traz diversos outros incômodos. Insônia, calores, ansiedade são apenas alguns efeitos dessa fase. Assim como a depressão, queda da libido, lentidão no metabolismo e aumento de peso, principalmente da gordura abdominal são registrados no climatério e menopausa.

O médico ginecologista Alexandre Maitelli explica que, de modo geral, as mulheres entram na menopausa aos 50 anos. Porém, isso pode variar dos 46 aos 54 anos.

Com mestrado em climatério, transição em que a mulher passa da fase reprodutiva para a fase de pós-menopausa, o médico pontua que os primeiros sinais de que a menopausa se aproxima são as menstruações mais espaçadas. Também ocorrem as ondas de calor (fogachos), ressecamento da pele e diminuição da lubrificação vaginal.

“Fora o tratamento medicamentoso, bons hábitos de vida, atividade física regular, alimentação saudável, não fumar, não consumir bebidas alcoólicas em excesso. A ingestão de alimentos a base de soja ajuda a combater os sintomas”, explicou o profissional.

O médico pontua que além dessas ações, alguns medicamentos não hormonais podem ser utilizados também. Esses remédios devem ser prescritos pelo médico que acompanha a paciente, com base nas queixas e quadro apresentado.

A nutricionista Camila Delgado recomenda que nessa fase de queda hormonal, principalmente relacionados à tireoide, a mulher aposte em alimentos com propriedades calmantes e que elevem os hormônios de bem-estar, como a serotonina e dopamina.

A nutricionista também destaca que com o avanço da idade, o transporte de cálcio pelo corpo muda e isso afeta a temperatura, resultando nos fogachos são característicos.

“Nesse momento a gente faz um reforço de alguns alimentos que vão amenizar sintomas como os fogachos, a depressão e ansiedade que se agravam nesse momento. Para ansiedade, o chocolate, banana e grão de bico ajudam muito. Já para os calorões é interessante o óleo de prímula, chá de amora e soja”, indica.

Camila Delgado explica que chás calmantes, mingau de aveia e leite de coco são grandes aliados de quem sofre com insônia.
Evitar alimentos ricos em gorduras, carboidratos e açúcar também é importante após os 50.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
%d blogueiros gostam disto: